Alagoas, 200 e Alagoas, poder e sangue de Odilon Rios

  Escrever sobre a produção literária do jornalista e escritor Odilon Rios, não é tarefa simples, mesmo para mim, que acompanho de perto a…

 

Escrever sobre a produção literária do jornalista e escritor Odilon Rios, não é tarefa simples, mesmo para mim, que acompanho de perto a evolução da sua arte. Pois, escrever reflexivamente, sem exaurir a pesquisa e a busca renovada de fontes de informação, é algo extremamente solitário. Processo individual e único, pertencente ao autor.

Em seu livro Alagoas, 200, Odilon tenta explicar com seu jeito cordato, deixando aberta a expectativa do leitor. “Nosso objetivo era responder à pergunta: Que é essa Alagoas, 200 anos após sua emancipação?”

Mas não respondeu sozinho. Consultando fontes vivas, referências em áreas distintas de atuação, com conteúdo provado e aprovado, construindo assim um livro-reportagem para compor qualquer acervo histórico sobre o estado natal.

“A ordem dos entrevistados neste volume obedece à disposição de períodos históricos.” Explica. “Mas como o leitor vai observar, entre todos existe o paralelo com o presente, a política, a sociedade, a economia, a cultura…Também todos costuram as linhas do otimismo para o século 21. Um otimismo sem determinismo. Nem algo de piegas. Nas linhas vagas de uma esperança incompleta, mas atrelada à realidade social e econômica deste chão. O não apagar-se de ser gente…”

Assim acontece Alagoas, 200. Um livro para ser descoberto entre um suspiro mais profundo e um gole de café, talvez. Algo muito pessoal também é a relação do leitor com a leitura, contudo, podemos afirmar que ao lê esta obra, não saímos incólumes, alguma sensação sempre nos acompanha.

No mesmo ano, 2017, Odilon Rios lançou mais um livro em caráter de contribuição à pesquisa e à história, fruto também de sua verve investigativa, desenvolvida na atuação em mais de duas décadas no jornalismo intra-fenômeno que caracteriza seus escritos e matérias: Alagoas, poder e sangue.

Estudos longos e silenciosos das fallas provinciais, levaram o olhar perscrutador do autor em questão às três primeiras décadas de Alagoas pós-emancipação política e administrativa. O prefaciador da obra, também escritor e professor da Universidade Federal de Alagoas, Fábio Guedes, afirma que “muitas das características daquela Alagoas recém-emancipada estão ainda presentes duzentos anos depois.”

Alagoas, 200 e Alagoas, poder e sangue, do jornalista e escritor Odilon Rios, podem ser encontrados na Livraria Be a Bá, ou diretamente com o autor, pelo contato telefônico (82) 98871-0198

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *