Mais um caso de síndrome cólica equina

Muitas vezes a falta de instrução dos tratadores e erros de manejo levam o animal a desenvolver cólicas. Esse caso se trata de um…

Muitas vezes a falta de instrução dos tratadores e erros de manejo levam o animal a desenvolver cólicas.

Esse caso se trata de um animal de vaquejada que estava há semanas parado. Ele ingeriu uma grande quantidade de alimento concentrado, sem nenhum volumoso.

E isso associado à falta de exercícios e estresse causado pelo longo período de confinamento, contribuíram para este quadro clínico.

O animal estava bastante inquieto devido a dor intensa. Seus batimentos cardíacos e frequência respiratória estavam acelerados, havia uma grande distensão abdominal, facilmente notada.

Estava extremamente timpanico, com bastante gás no estômago.

A distensão primária do estômago geralmente é causada por sobrecarga de grãos ou por gases produzidos por alimentos fermentáveis, e ocorre em aproximadamente 10% dos casos (Carter, 1987).

Segundo Goloubeff (1993), Carter (1987) e Hillyer et al. (2002), a qualidade da ração, a alimentação em refeições intercaladas, a baixa ingestão de volumoso associada a fatores com o stress e as alterações de comportamento provocadas pelo confinamento podem influenciar na fisiologia e funcionamento do aparelho
digestivo do equino.

O intestino do cavalo é anatomicamente predisposto aos deslocamentos (Hackett, 1987; Snyder & Spier 1990).

Identificamos aumento do pulso das artérias digitais à palpação além de aumento da temperatura na parede do casco e banda coronária. Então realizamos crioterapia (gelo) nos membros anteriores e a dose antiendotoxêmica de flunixin, afim de evitar que o animal desenvolva um quadro de laminite.

Eades (2002) afirma que a laminite pode ser secundária a outras doenças, tais como doenças do trato gastrointestinal (síndrome cólica), especialmente, as que envolvem processos estrangulatórios obstrutivos e inflamatórios, excesso de grãos na dieta, retenção das membranas fetais seguida de metrite, pleuropneumonias e outras doenças associadas à endotoxemia.

Além de medicamentos e fluidoterapia, realizamos sondagem nasogástrica para auxiliar na eliminação dos gases.

O animal se recuperou e passa bem. Tratadores e proprietários foram orientados.

Deixe uma resposta